sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Loucura!


Que sensação é essa de que quando chega dezembro – o melhor mês do ano na minha opinião, mas com ele chega aquela sensação de que o “tempo acabou”, que não deu tempo de fazer tudo que tínhamos planejado e até uma certa frustração? E o que é mais engraçado ainda: no dia 1º de janeiro, nos primeiros segundos do “novo ano” somos invadidos por uma onda de esperança???

Se você é assim como eu... bem-vindo ao clube dos malucos! Sim, só podemos ser malucos! Pois um simples mudar de calendário não deveria ser responsável por tanta mudança de sentimentos.

Parece loucura, mas eu só posso concluir que é tudo psicológico. O fato de chegar dezembro, a proximidade com datas festivas, férias, verão (delícia), recesso (no caso dos advogados) e todo esse clima de felicidade – meu aniversário, inclusive! (ahah modesta, eu!), nos traz um sentimento de finitude do tempo mesmo, afinal, o ano se foi. Acabou. O que foi feito já passou o que ficou só em projeto, ficou mesmo. O que planejamos para 2013 não dá mais... Agora é pensar em 2014!

Talvez por esse mesmo motivo que assim que o ano começa, as esperanças se renovam e nos enchemos de ânimo!

Enfim, acho que temos que aproveitar esse sentimento da melhor forma possível... Acreditar, sim, que o ano novo será melhor, cheio de realizações e blá, blá, blá... não deixa de ser uma forma bonita e animada de começar a nova jornada!

Por isso, vamos aproveitar o finalzinho de 2013 pra ser felizes sim, e entrar em 2014 ainda mais felizes, cheios de projetos, esperança e alegrias já “alinhavadas”!

Obrigada pela companhia e amizade em 2013 e que 2014 seja mágico pra todos nós! Feliz Ano Novo!!


sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

"O Tempo e O Vento": livro X filme X minissérie


Quem acompanha o blog já sabe que eu sou fã do Érico Veríssimo e que a trilogia “O Tempo e o Vento” é a minha preferida, sendo que já li umas três vezes e nunca me canso.

Agora em setembro/2013 foi lançado o filme, mas a minissérie já existia desde os anos 80. O que eu achei do filme? Lindo, mas vamos por partes...

Gostei do filme: ele não foge da história contida no livro e é bem realista quanto aos diálogos da história. Mas... achei que faltou um pouco de ação e de emoção, pois quando lemos o livro ou assistimos a minissérie, a história é eletrizante e não conseguimos largar. No filme a história é bem parada e não nos leva a grandes emoções. Vendo o trailer do filme eu me arrepiei, mas no filme não... No livro e na minissérie tem passagens que nos arrepiam e que eu sempre choro, no filme não senti isso.

Não pensem que sou preconceituosa com o filme, ou retrógrada. Eu gostei do filme. Só que quem é apaixonada pelo livro vai sentir falta de algumas coisas e de algumas emoções, só isso.

Fernanda Montenegro arrasou como Bibiana Terra Cambará. Na minissérie quem faz a Bibiana é a Lélia Abramo, ótima atriz também, mas a “Fernandona” (que a fez no filme) dispensa comentários. Perfeita. Ana Terra, na minissérie foi interpretada por Glória Pires de uma forma incrível. Tão incrível que eu pensava que a Cléo Pires que agora interpretou no filme não conseguiria superar... mas ela foi brilhante!

Bibiana Terra Cambará (Lélia Abramo e Fernanda Montenegro, minissérie e filme, respectivamente)
Bibiana jovem (na minissérie, Louise Cardoso, e, no filme, Marjorie Estiano, da esquerda para a direita)
Thiago Lacerda como Capitão Rodrigo Cambará está lindo e jovem. Na minissérie, Tarcisio Meira, que fez o Capitão, era mais velho (já tinha cerca de 50 anos), mas com um charme inigualável. Em suma: pra mim o “Tarcisão” será o eterno Capitão Rodrigo, com a irreverência, desprezo pelas regras, fanfarrão... Exatamente como retratado no livro. Inclusive, quando lemos o livro é impossível não dar a entonação às falas exatamente da forma como o Tarcísio fez na minissérie. Ele foi perfeito.

Capitão Rodrigo Cambará - Tarcísio Meira e Thiago Lacerda (minissérie e filme, respectivamente)

Eu como fã dessa história, percebi alguns pequenos detalhes no filme que são diferentes do livro:

1-           Ana Terra no livro tinha dois irmãos: Horácio e Antônio. No filme tem apenas um: Antônio.


Ana Terra - Glória Pires, na minissérie, e, Cléo Pires, no filme.


2-           No livro, o pai de Ana – Maneco Terra, rejeita Pedrinho por vários anos. O filme não mostra isso.

3-           Claro que no livro tem mais personagens que não fazem muita falta na trama, como a cunhada de Ana que fica cega... mas isso tudo bem.

4-           No livro e na minissérie, a cena que o Pe. Lara dá a Extrema Unção ao Capitão, é longa e bem divertida. No filme parece um resumo do resumo... Impossível não dizer que o Pe. Lara ficou meio sem graça no filme. Na minissérie o Pe. Lara é o ator Mário Lago - que dispensa apresentações, e foi perfeito.

Pe. Lara - Mário Lago, na minissérie, e, Zé Adão Barbosa, no filme.

5-           No livro e na minissérie, Bibiana e o Capitão têm três filhos: Bolívar, Anita (que morre) e Leonor. No filme eles têm somente Bolívar e Anita.

6-           Quanto à trilha sonora do filme: achei bonita e moderna, mas a da minissérie é inesquecível! Fico com a da minissérie e confesso que em algumas cenas, após alguns diálogos fiquei esperando o trecho da música “...um certo Capitão Rodrigo que trazia a morte em seu coração...” e outras feitas por Tom Jobim que realmente caíram como uma luva.

Claro que o livro e a minissérie são mais completos e ricos de detalhes que o filme, até em razão do tempo, mas o filme é bem fiel à história, é lindo, muito bem feito e por isso tem seu valor. Inclusive no filme há uma explicação a mais a respeito dos Sete povos das Missões, que na minissérie não tem, que achei muito legal.

Se possível assista o filme e a minissérie... mas não deixe de ler o livro! O livro é simplesmente incrível. Érico Veríssimo supera todas expectativas... Leia ao menos o tomo I, do “O Continente”, que é a parte retratada tanto no filme quando na minissérie. A trilogia completa são sete livros: “O Continente” (2 tomos), “O Retrato” (2 tomos) e “O Arquipélago” (3 tomos).

Trilogia "O Tempo e O Vento", de Érico Veríssimo


Dêem-me um desconto e perdoem-me as comparações, pois sou fã. Assista... leia... é mágico!! O filme é maravilhoso, uma super produção perfeita. A obra é riquíssima, sendo daquelas que não podemos morrer sem conhecer... 

É impossível não se apaixonar, principalmente para nós gaúchos, pois conta a saga da formação do nosso Estado, as dificuldades, os costumes e tradições. Mais uma vez eu digo: é imperdível!


segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Mais uma primavera!

Pois é, mais um aniversário... A "certidão amarelou"... Não tem mais jeito! Nem adianta retirar a segunda via! 

Brincadeiras à parte, não tenho problema nenhum em envelhecer. Essa é a lei da vida e o importante é ser feliz todos os dias. Penso que temos que cuidar da nossa aparência, mas não virar escravos da eterna juventude. 

As marcas de expressão são na verdade as marcas do que vivemos: tristezas, alegrias, decepções, superações... Não se esqueça: a beleza passa, mas nossa alma fica... "ser" é sempre infinitamente melhor, e mais importante, do que "ter" ou aparentar.

Claro que o tempo passa e hoje não tenho mais a disposição dos meus 20 anos, onde eu fazia dois estágios diferentes durante o dia, fazia faculdade à noite, estudava nas madrugadas, fazia aulas de italiano aos sábados, três vezes por semana caminhava 45 minutos na esteira e ainda tinha fôlego pra sair de quinta a domingo! Ufa! Cansei só de lembrar!

Mas tudo bem. Hoje tenho uma rotina diferente, com escritório, casa e marido... Meus dias são bem cheios e acredito que muitas mulheres torceriam no nariz... mas eu adoro o meu dia-a-dia corrido! Continuo elétrica, praticamente hiperativa, entusiasmada e multifuncional - como costumo me descrever, mas obviamente meu pique não é mais o mesmo... hoje quando saímos à noite, no dia seguinte estou “quebrada” e sim, eu preciso dormir bem! Mas faz parte, com os anos vieram também outras conquistas e hoje sou muito mais feliz. Todas as fases da vida são belas, basta sabermos reconhecer nelas esse encantamento!


Do alto dos meus trinta e alguns anos (ahaha) e adorando meu dia-a-dia corrido, gosto de pensar no que realmente importa e priorizo o que me faz feliz. Tenho absoluta certeza que o que vale a pena mesmo, dia após dia, ano após ano, é tudo aquilo que vivemos, o quanto amamos, o quanto somos felizes. Lembre-se: a felicidade se constrói todos os dias e está nas pequenas coisas.

Por isso eu digo: ame o mais que puder, todos os dias. Quanto mais se ama, mais se é amado. Não perca a oportunidade de fazer alguém feliz, não hesite de dizer ‘eu te amo’, sorria sempre - independente de que estado seu coração se encontra, seja gentil e educado. Ajude o próximo. Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje... parece clichê mas é a mais pura verdade.

A vida é muito curta pra perdermos tempo, sejamos felizes hoje, sem se importar se temos 15 ou 50 anos!

Aproveito essa data para agradecer o carinho e amizade de todos vocês. Acredito que amigos são anjos que Deus colocou no mundo para nos cuidar... Nossa convivência me faz mais feliz. e tenham certeza que esse sentimento sempre será meu maior presente.Obrigada!!



domingo, 8 de dezembro de 2013

Chegou o Natal, mas e daí?


Mais um Natal se aproxima, o ano termina... As esperanças se renovam, esperança de paz, amor, fraternidade, amor ao próximo...

Como assim? Só porque chega o natal e termina o ano, as pessoas que passaram o ano inteiro semeando a discórdia, brigando, olhando apenas para seu umbigo, que não foram capazes de crescer, de perdoar, de amar, de ser pessoas melhores, agora vêm com esse discurso lindo - e hipócrita, de que natal é tempo de paz!??? Comigo não.

De que adianta nesse tempo de correria, lojas lotadas, ruas apinhadas, sentimentos à flor da pele, se no dia 26 de dezembro ninguém mais se lembra de fazer o bem? Se o ciúme, o ódio, a inveja, as mesquinharias retornam com força total? De que serve isso tudo? Só serve para aumentar vendas das lojas, porque o verdadeiro sentido do natal e o amor ao próximo está sendo esquecido há muito tempo. Aliás, o amor a nós mesmos está sendo deixado de lado. Não amamos o próximo e nem a nós mesmos.

A ordem é aparentar felicidade - não precisamos ser felizes de verdade, mas temos que demonstrar isso, querendo que todos vejam a nossa ‘família perfeita’, nossos bens grandiosos, nosso trabalho com status, nossas roupas de grife, nosso look perfeito, a mesa bem posta... Por ‘fora’ estamos lindos, mas e por dentro?? Querem a verdade? Corações dilacerados.

De que adianta passar o ano todo magoando as pessoas, não sendo capaz de olhar ao próximo ou a estender a mão, a não reconhecer os erros e defeitos, humilhar, ofender, lembrar apenas de “ter” e não de “ser”, querer manter aparências, trabalhar de sol a sol sem se lembrar de viver e acrescentar alguma coisa ao mundo, mas agora no Natal, felicitar até o ‘cachorro’ do vizinho, comprar presentes para quem nem se olhou na cara durante o ano inteiro e ‘fazer de conta’ que o mundo é lindo, perfeito e que todo mundo se ama?? Isso basta pra você?

Hoje em dia ninguém se importa em quanto bom você foi durante o ano, ou durante sua vida. Ninguém se importa se você foi leal aos seus princípios, se esteve sempre ao lado da justiça, da verdade e da moralidade. Na noite de Natal (e nesse época) o importante é o que você ganhou de presente e o quanto você tem! O carro novo tão sonhado? Aquele vestido maravilhoso? A jóia mais brilhante?

Sinceramente, prefiro sentimentos reais. Como sempre digo: “ser” e não “ter”. Amor, felicidade, justiça, lealdade, companheirismo... isso sim, não tem preço e também não estão à venda.

Quanto custa uma amizade sincera? Um abraço apertado? Essas atitudes estão em falta no ‘mercado’... Talvez essa seja a origem primordial de tanta gente nos consultórios psiquiátricos com uma depressão que corrói até os ossos.

Natal é tempo de luz, é tempo de lembrar-se Daquele que deu Sua vida por nós, no seu exemplo de amor, humildade, paz... Mas não podemos lembrar-nos disso tudo apenas nessa época. Não sejamos hipócritas. Natal tem que ser todos os dias. Temos que ser amor todos os dias.

O espírito de Natal tem que nos acompanhar sempre. Sem ser moralista: temos que nos lembrar do próximo, lembrar que ele é tão importante como nos mesmos, que ninguém é mais que ninguém. O que custa ser amável, educado e caridoso com as pessoas? O que custa ser gentil e amoroso? Um sorriso, uma gentileza não custam nada, mas valem um montão. Custa tão pouco ser feliz, mas na correria do dia-a-dia esquecemos que o próximo é de carne e osso como nós. Que todos querem um carinho, seja na forma de um abraço afetuoso, ou de um simples sorriso de bom-dia!

Desejo a vocês amigos, um belíssimo Natal e que ele se perdure por todos os dias do Ano Novo, com muita paz, amor, saúde e prosperidade. Que sejamos nós o abraço amigo e afetuoso todos os dias do ano novo que se inicia.

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Creme milagroso


Acho que todas vocês já sabem a receita do creme milagroso e agora famoso do Dr. Ivo Pitanguy, certo? Por isso não estou aqui passar essa “dica”, mas sim dizer o que achei dele!

Quem ainda não tem a receita do creme anti-rugas do Dr. Ivo Pitanguy, segue a receita:

1 cm de bepantol derma creme;
1 cm de pomada hipoglós;
12 gotas de arovit (eu usei cetiva ae).

Misture na mão e aplique no rosto, pescoço, colo e mãos antes de dormir. No dia seguinte, retire bem com seu sabonete facial preferido e não deixe de usar protetor solar. Use um dia sim, outro não, e somente à noite.






Segundo li por aí, tal receita teria sido passada à Glória Maria – aquela repórter da Rede Globo, que os anos passam, mas a pele continua a mesma!

Resolvi provar pra ver se era boa mesmo. No lugar da ampola de Arovit, usei Cetiva AE (até porque tem vitaminas A, C e E e a arovit é só vitamina A), passei mais na região dos olhos, pois minha pele é oleosa e fiquei com um pouco de medo de usar na área “T” e acordar cheia de espinhas!

Gostei bastante do aspecto da pele no dia seguinte e não me deu espinhas. Minha pele ficou super hidratada e com viço. Estou alternando o uso desse creme com outros de controle da oleosidade e estou gostando muito.

O único ponto ruim que eu achei foi o cheiro da pomada hipoglós. Você pode usar aquela com amêndoas, mas como eu já tinha a tradicional, quis terminá-la! No primeiro dia me deu até um pouco de enjôo por causa do cheiro (sou super sensível a cheiros), mas depois acostumei e o cheiro nem me incomoda mais.

Achei uma dica super legal, barata e com resultados já no primeiro uso. Lembro sempre que se você tem algum problema de saúde, alergia, etc, não deve usar nada sem conversar com seu médico, ok? Inclusive grávidas não podem usar esse creme!

Boa sorte!

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Dica inacre-ditável para as loiras!!!!!

As morenas que me perdoem, mas hoje a dica é para as loiras!

Nós, loiras, sempre estamos atrás daquele último shampoo mega-poderoso que neutralize o amarelado dos fios. Depois de testar milhares de marcas (quase não sou exageradaaaaa...) e nem sempre ficar satisfeita, aprendi uma dica inacreditável e bem barata: violeta genciana!

Repare a bagunça que fiz,
manchei tudo que tinha em volta!
Por isso, cuidado!

A receitinha é simples, mas tem que ter cuidado para não exagerar, manchar tudo e sair com os cabelos roxos! Basta misturar para cada colher de sopa de um creme branco (pode ser qualquer creme: de tratamento, condicionador, do mais caro ao mais baratinho... não importa!) uma gota de violeta genciana. Misture com uma colher ou espátula (não coloque as mãos, pois mancha tudoooo). Aplique no banho, depois do shampoo e deixe agir por cerca de 5 minutinhos... pronto! Os amarelados somem e o cabelo ganha um tom lindo!!

Atenção: quanto mais claro o tom do seu loiro, menos violeta você deve usar, pois quanto mais claro, mais ele pode manchar! Assim, se você é loura platinada, diminua um pouco a quantidade de violeta genciana, ou seja, aumente a quantidade de creme para cada gota de violeta para que seu cabelo não fique roxo! Se você tem um tom de louro mais escuro (tipo o meu) pode aumentar um pouco a concentração de violeta, mas não exagere, pois a violeta genciana possui álcool na fórmula que em excesso pode danificar os fios. O importante é ir fazendo o teste para ver a concentração ideal para seu cabelo.

Vejam a cor que o meu creme ficou!
A ideia é usar essa mistura uma vez por semana para manter o tom bonito dos cabelos. Eu gostei dessa dica, pois além de dosarmos a concentração adequada para o nosso tom do cabelo, podemos colocar a violeta no nosso creme de tratamento semanal e fazer as duas coisas juntas: hidratar e revitalizar a cor! Prático e eficiente!!

Se você manchar o cabelo, o deixar todo roxo, tenha calma! Basta ir lavando o cabelo que vai saindo! Cuidado também com roupas, mãos, pias, toalhas... a violeta mancha tudo e é bem difícil de tirar!

Experimente essa dica baratérrima e me conte os resultados! Boa sorte!!


quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Dica de leitura: A saga do diabo bem vestido!

“A Vingança veste Prada - o diabo está de volta”, de Lauren Weisberger


Em outro post já falei da “literatura de mulherzinha” (http://pimentapimenta.blogspot.com.br/2012/06/literatura-de-mulherzinha.html), que na verdade é aquela literatura voltada ao público feminino com suas manias, dúvidas, alegrias e inseguranças. A um primeiro olhar parece chato, mas está longe disso! É uma leitura envolvente e divertida que não conseguimos largar!  

Acredito que todos já viram o filme “O diabo veste Prada”, mas talvez nem todos leram o livro, que como normalmente acontece, é mais completo que o filme - tem mais acontecimentos, não que façam falta ao filme, que é adorável, mas o livro sempre tem mais detalhes e nesse não foi diferente.  

Há pouco tempo foi lançado i livro: “A Vingança veste Prada - o diabo está de volta” que seria a parte II desse livro de Lauren Weisberger, e eu corri para comprar. O livro segue a trajetória do primeiro, é uma continuação simplesmente maravilhosa, leve e divertida!  

O livro conta a história da Andy depois de ter abandonado a Runway. Agora, como editora de uma revista sobre casamentos junto com a Emily (sim, a “colega” da Runway!), ela está prestes a se casar. Nesse emaranhado de acontecimentos felizes, um fantasma do passado volta a assombrá-la: Miranda Priestly. Junto a isso, vários acontecimentos nos prendem do início ao fim: no começo ficamos envoltos ao casamento, depois à revista, depois... melhor eu não contar detalhes! Mas posso dizer que o final é surpreendente e romântico!  

A forma como a escritora conduz a história é ótima, envolvente e emocionante. Preciso dizer que no desenrolar da trama Andy se torna mãe e a descrição dos momentos maternais não soam pedantes ou melosos, nem o livro se torna um manual anti ou pró-maternidade. Achei bem realistas as narrativas a respeito da tentativa de conciliação entre trabalho, vida pessoal e maternidade, contendo as alegrias, tristezas, frustrações e angústias que toda vida normal possui.  

Recomendo esse livro, sobretudo para aqueles que já leram “O diabo veste Prada” e para aqueles que querem momentos de prazer e distração.  

Boa leitura!

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Suco verde

De uns tempos pra cá tenho tentado ser mais saudável... Não está fácil, primeiro porque simplesmente detesto atividade física, sem contar que disponho de pouco tempo livre (além de trabalhar o dia todo no escritório, ainda tenho casa e marido). Confesso que amo minha vida corrida de advogada e dona-de-casa, mas isso me deixa pouco tempo disponível para atividades físicas.

Uma amiga me indicou o suco verde para ajudar na desintoxicação do organismo. Experimentei e gostei! Na primeira semana achei bem bom e tomei todos os dias, mas depois... comecei a enjoar e está difícil tomar, pois parece um "suco de grama"! Por isso não tenho tomado um copo inteiro...

Deixem pra lá essa minha observação e tentem incluir esse suco na rotina de vocês, pois o suco verde é rico em clorofila, fortalece o sistema imunológico, auxilia no combate à anemia, desintoxica e ajuda a regular o intestino. Também é rico em magnésio, ácido fólico, vitaminas do complexo B e em antioxidantes, o que impede a ação dos radicais livres, retardando o envelhecimento. Bah, com essa já nos animamos a provar!!

Além disso, é rico em ferro, vitamina C e zinco, prevenindo cólicas menstruais e enxaqueca. Também nos dá mais disposição para o dia-a-dia e melhora a saúde do fígado.

Segue a receita do suco verde que eu tomo:

Suco verde

1 folha de couve
½ limão
½ copo d’àgua
1 maçã

Bata tudo no liquidificador e tome em seguida

Depois de saber de todos esses benefícios do suco verde, não dêem bola pro meu comentário de “suco de grama” e provem!


Bom apetite!!

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Dica de leitura: “Jango – A vida e a morte no exílio”, de Juremir Machado da Silva

Perdoem-me pela sequencia de posts sobre livros, mas além de ser uma das minhas paixões, ultimamente só tem “caído” em minhas mãos obras maravilhosas que não poderiam deixar de virar posts.

Como vocês já sabem, eu adoro literatura gaúcha, inclusive a literatura histórica e política. Sou fascinada pelo nosso passado político, apesar de algumas coisas tristes, mas a honradez e força dos gaúchos me deixam orgulhosa (perdoem o meu bairrismo!).

Gosto muito do escritor Juremir Machado da Silva. Sem voltas ou meias-palavras ele mostra a que veio: desvendar histórias, contar mistérios escondidos e esclarecer fatos ocorridos ao longo das gerações. Já li outros livros dele além desse sobre a história do nosso ex-presidente João Goulart: “Getúlio” e “Vozes da Legalidade”, que também me prenderam da primeira à última página e revigoraram meus brios gaúchos!

Recomendo todos eles: “Getúlio” contando a história do nosso também ex-presidente Getúlio Vargas, numa narrativa eloquente e “Vozes da Legalidade” trazendo todos os detalhes emocionantes do movimento pela legalidade encabeçado por Leonel Brizola para garantir que Jango assumisse o poder. Posso garantir que esses livros são daqueles que nos colocam para dentro da história, que nos fazerem participar daquela narrativa, fazendo-nos sentir as angústias, medos e alegrias também.


Mais especificamente sobre esse último livro do escritor Juremir, Jango – A vida e a morte no exílio”, digo que ele esclarece e nos dá diretrizes sobre os fatos mais obscuros ocorridos durante o governo e o exílio desse nosso ex-presidente numa narrativa emocionante.

Como consta na contracapa da obra: "Jango - A Vida e A Morte No Exílio" é um livro de reconstrução e desconstrução: busca reconstruir o passado para desconstruir mitos. Se tivesse de ser resumido a uma questão, seria: quem foi João Goulart? Um presidente fraco ou um herói reformista no tempo errado, derrubado do poder para que não melhorasse o Brasil "cedo" demais? Com mais cuidado, pode-se dizer que este livro trata mesmo de como foram construídos, com ajuda dos jornais, o imaginário favorável ao golpe e as narrativas sobre o possível assassinato do presidente deposto em 1964. Como, quando e onde surgiu a tese do assassinato?

Juremir Machado da Silva esteve aqui em Passo Fundo – RS para fazer o lançamento dessa magnífica obra no dia 31/07/2013. Eu, como fã desse escritor gaúcho estive lá para conferir e pegar autógrafos nos meus livros, claro! E... ainda saí na foto do jornal que estava cobrindo o evento:



Sem dúvida esse livro é um documento histórico. Desde minha adolescência ouvi rumores de que Jango não teve uma morte natural, porém depois de ler esse livro... ficou claro que muita coisa se quer esconder. Recomendo essa leitura que além de entreter é um banho de história e cultura.

Recomendo, ainda, que assistam o filme: “Dossiê Jango Nacional” que mostra os fatos narrados no livro do Juremir: João Goulart, presidente do Brasil, foi expulso do cargo após o golpe de Estado de 1964. Depois disso, viveu exilado na Argentina, onde morreu em 1976. As circunstâncias de sua morte no país vizinho não foram bem explicadas até hoje. Seu corpo foi enterrado imediatamente após a sua morte, aumentando as suspeitas de assassinato premeditado. Este documentário traz o assunto de volta à tona e tenta esclarecer publicamente alguns fatos obscuros da história do Brasil.
  

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Dica de leitura: “Atado de Ervas”, de Ana Mariano

Há alguns dias uma grande amiga que sabe da minha verdadeira paixão por livros de saga familiar, especialmente quando retrata histórias contendo os costumes e fatos históricos gaúchos, me emprestou esse livro que eu fiquei fascinada.

“Atado de Ervas”, de Ana Mariano, conta a vida na estância gaúcha, tendo como pano de fundo episódios da história real que marcaram o Rio Grande do Sul e o Brasil em meados do século XX.
O livro faz a análise psicológica dos personagens, conta as reflexões, pensamentos, anseios, medos e sonhos dos personagens que compõem essa trama à qual nos sentimos presos até o final.
Adorei a forma com a autora conduziu a história, com detalhes emocionantes, descrevendo os costumes, os dramas e as paixões. Personalidades históricas como Getúlio Vargas e João Goulart aparecem como estancieiros amigos da família, fazendo parte do pano de fundo de uma história envolvente e apaixonante.
Eu adoro história, sobretudo a história gaúcha, então quando encontro um livro contendo costumes, fatos históricos e ainda mais personagens ilustres da política do nosso país eu fico maravilhada. Não consegui largar o livro e quando terminei, confesso que fiquei triste. Isso acontece quando eu me sinto parte da história, por mais estranho que isso possa parecer... Mas algumas histórias me envolvem tanto que eu me sinto vivendo aquela trama... Até cheiros e sons descritos sou capaz de sentir! (outros livros que me ‘senti’ personagem: “O tempo e o vento”, “A casa das sete mulheres” e “A casa das orquídeas”).
Recomendo esse livro que conta várias histórias que se unem para contar como se vivia e morria nas estâncias gaúchas.
Boa leitura!

terça-feira, 30 de julho de 2013

Visita do Papa Francisco ao Brasil

A visita do Papa Francisco ao Brasil renovou as esperanças, não só dos brasileiros, mas das pessoas do mundo inteiro. Regozijo-me em saber que a fé ganhou força e renovação com esse Papa - que trouxe uma novo ânimo para a igreja com sua humildade, carisma e amor.


Acredito que importa a sua religião. Importa que todos queremos a mesma coisa e buscamos o bem dos nossos irmãos, a fé, a esperança, a caridade e o amor. Inclusive, Deus é o mesmo perante todos nós, então, não importa qual doutrina você segue, basta buscar Deus e fazer o bem.

Foi uma semana intensa, de muitas emoções... mas de tudo ficaram os sentimentos e os ensinamentos que devemos lembrar todos os dias. Abaixo transcrevo alguns trechos marcantes dos discursos e homilias do Papa – discursos simples, mas com profundos ensinamentos.

 “Não tenho ouro nem prata, mas trago o que de mais precioso me foi dado: Jesus Cristo. Venho em Seu nome, para alimentar a chama de amor fraterno que arde em cada coração. Desejo que chegue a todos e a cada um a minha saudação: a paz de Cristo esteja com vocês”.


"Cristo bota fé nos jovens e confia-lhes o futuro e sua própria casa. E também os jovens botam fé em Cristo"


"Desde a Amazônia até os pampas, dos sertões até o Pantanal... Ninguém se sente excluído do afeto do papa. Depois de amanhã, se Deus quiser, temos que recordar Nossa Senhora Aparecida. Desde já a todos eu abençoo. Obrigado pelo acolhimento".


"Nenhum esforço de "pacificação" será duradouro (...) para uma sociedade que ignora, que deixa à margem, que abandona na periferia parte de si mesma".


"Vocês, queridos jovens, possuem uma sensibilidade especial frente às injustiças, mas muitas vezes se desiludem com notícias que falam de corrupção, com pessoas que, em vez de buscar o bem comum, procuram o seu próprio benefício. Também para vocês e para todas as pessoas repito: nunca desanimem, não percam a confiança, não deixem que se apague a esperança. A realidade pode mudar, o homem pode mudar."




“Vocês não estão sozinhos, a Igreja está com vocês, o Papa está com vocês. Levo a cada um no meu coração e faço minhas as intenções que vocês carregam no seu íntimo: os agradecimentos pelas alegrias, os pedidos de ajuda nas dificuldades, o desejo de consolação nos momentos de tristeza e sofrimento. Tudo isso confio à intercessão de Nossa Senhora Aparecida, Mãe de todos os pobres do Brasil, e com grande carinho lhes concedo a minha Bênção.


“Eu peço que vocês sejam revolucionários, eu peço que vocês vão contra a corrente; sim, nisto peço que se rebelem: que se rebelem contra esta cultura do provisório que, no fundo, crê que vocês não são capazes de assumir responsabilidades, que não são capazes de amar de verdade. Eu tenho confiança em vocês, jovens, e rezo por vocês. Tenham a coragem de “ir contra a corrente”. E também tenham a coragem de ser felizes!



“Bote fé” e a vida terá um sabor novo, terá uma bússola que indica a direção; “bote esperança” e todos os seus dias serão iluminados e o seu horizonte já não será escuro, mas luminoso; “bote amor” e a sua existência será como uma casa construída sobre a rocha, o seu caminho será alegre, porque encontrará muitos amigos que caminham com você. “Bote fé”, “bote esperança”, “bote amor!


“Sentimo-nos tentados a colocar a nós mesmos no centro, a crer que somos somente nós que construímos a nossa vida, ou que ela se encha de felicidade com o possuir, com o dinheiro, com o poder. Mas não é assim! É verdade, o ter, o dinheiro, o poder podem gerar um momento de embriaguez, a ilusão de ser feliz, mas, no fim de contas, são eles que nos possuem e nos levam a querer ter sempre mais, a nunca estar saciados. “Bote Cristo” na sua vida, deposite n’Ele a sua confiança e você nunca se decepcionará!”

Desejo que todos nós lembremos das mensagens do Papa Francisco e que possamos viver esses ensinamentos todos os dias. Que as sementes do amor, da fé, da esperança, do perdão e da caridade sejam fecundas em todos os corações!

Só com esses sentimentos podemos ser verdadeiramente felizes!

Felicidades a todos!



sexta-feira, 19 de julho de 2013

Passeio imperdível: parte 2!! Outros pontos turísticos de Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil

Que eu adoro viajar e conhecer lugares e novas culturas vocês já sabem! No post anterior eu compartilhei com vocês a emoção de visitar as Cataratas de Iguaçu (Parque Nacional de Iguaçu), mas em Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil, não é só isso!

Passo agora a listar outros pontos turísticos imperdíveis em Foz do Iguaçu:

1- Usina binacional de Itaipu: A usina de Itaipu é, atualmente, a maior usina hidrelétrica do mundo em geração de energia. Com 20 unidades geradoras e 14.000 MW de potência instalada, fornece cerca de 17,3% da energia consumida no Brasil e 72,5% do consumo paraguaio.


Mais do que uma obra de engenharia, a usina é um tributo à ousadia do homem em fazer junto ao nono maior rio do mundo uma usina desse porte. Com grande responsabilidade e preservação ambiental, a Usina de Itaipu se revela um destino imperdível!

Existem vários tipos de passeios: Circuito Especial, Visita Panorâmica e Visita institucional. Nós fizemos a Visita Panorâmica, que dura cerca de 1h30min/2h, inicia com um vídeo de cerca de 20 min e após isso embarcamos em um ônibus aberto e passamos por vários pontos da Usina.

As unidades geradoras de energia parecem pequenas de longe... mas ao passar ao lado são assustadoras! São maiores que muitos prédios que temos em nossas cidades!



Incrível não se arrepiar ao passar pelo túnel onde acima passa a água quando as comportas estão abertas (como no dia em que fomos).


O auge do passeio é quando o ônibus passa sobre a barragem, isto é: de um lado você vê o Lago de Itaipu (reservatório) calmo e sereno... e do outro lado você vê a água jorrando a 150km/h quando as comportas estão abertas para escoar o excesso das águas! Tivemos o prazer de pegar as comportas abertas, então o espetáculo ficou ainda mais emocionante! É muita água!




Certamente esse é um passeio imperdível.

2- Mesquita Muçulmana: a mesquita é uma grandiosa construção de 15 metros de altura que se destaca pela arquitetura e decoração de inspiração religiosa.

 
A mesquita é aberta à visitação, porém é necessário tirar os sapatos na entrada do templo e as mulheres devem cobrir a cabeça com o lenço/véu (é fornecido gratuitamente na entrada da mesquita). As visitas podem ser agendadas para que um guia possa explicar a cultura muçulmana. Nós não agendamos visita, mas mesmo assim encontramos uma gentil senhora que com todo prazer nos explicou vários pontos. É incrível ver a decoração e a arquitetura daquele lugar... o tapete para se ajoelhar mais parecia um colchão, de tão macio. Vale muito a pena!


3-Templo Budista: ao chegar dá temos a impressão de que chegamos em uma fazenda, pois tudo é muito grande! É um grande parque de 50 hectares e é considerado um dos maiores centros de estudos e meditação budista da América Latina.

Dentre os vários atrativos que oferece esse espaço da cultura oriental em Foz do Iguaçu, se destacam as inúmeras esculturas. Uma delas é a imponente escultura do Buda Maitreya de sete metros de altura, realizada em concreto.


Outras 120 estátuas do Buda Amitabha estão dispostas. Mais um passeio imperdível!








4- Já que você está em Foz do Iguaçu, aproveite ao menos uma noite e visite o Duty Free Shop na Argentina! Super perto e acessível, fica entre as aduanas brasileira e argentina. Com produtos de alta qualidade e preços atrativos, certamente é um passeio imperdível! Quanto ao idioma, sem se preocupe: os vendedores falam português fluente e são super atenciosos!


5- Além disso, aproveite ao menos uma manhã para conhecer Ciudad Del Este, no Paraguai – basta atravessar a Ponte da Amizade para você chegar ao maior shopping a céu aberto que eu já vi! Se você não está com vontade de enfrentar aquela confusão do comércio de rua, faça com nós: vá direto aos shoppings e faça suas compras com toda comodidade: indico o Shopping SAX: ótimo atendimento, produtos maravilhosos e qualidade indiscutível.

Quero voltar a Foz do Iguaçu para fazer os outros passeios que faltaram: Parque das Aves, as outras visitas na Usina de Itaipu, o zoológico, o museu da Usina... Enfim! Foz do Iguaçu é um destino obrigatório para quem curte belezas naturais e cultura!

Boa viagem!